segunda-feira, 18 de julho de 2016

Sete Degraus Para a Santidade

                Gostaria e deixar claro que não sou santo e tenho MMUUUIITTOOO o que melhorar em minha vida. Mas realmente acho que todos que amamos a Deus e aceitamos a igreja Dele temos a obrigação de tentar agir de modo santo. Eu mesmo muitas e muitas vezes falho e não persevero, mas estou sempre tentando...
                Quando pensamos em santidade é comum pensarmos em grandes fenômenos, santos com dons e virtudes acima da normalidade humana, uma coisa inatingível para a maioria de nós. Já dizia santa Terezinha do Menino Jesus, que apesar de ser uma grande santa não se considerava como tal, um caminho para que nós "normais" busquemos a santidade real, nada mais é que tentarmos sempre agir corretamente em tudo na nossa vida, a dita santificação do nosso dia a dia, o que ela chamava como pequeno caminho para a santidade.
                 Sem pretensões ou orgulho, apenas visando a melhora de todos e honrar a Deus, quero deixar aqui um caminho concreto para a santidade e que mais facilmente nos aproxima de Deus. Este caminho deve ser buscado aos poucos uma vez que ninguém (a não ser raras exceções) atinge a santidade de uma hora para outra, mas sim na perseverança. Considero como uma escada que deve ser subida degrau por degrau (podendo pular e voltar degraus) e com persistência e perseverança, sempre pedindo para nossa santa mãe Maria e nosso anjo da guarda nos acompanharem e para o Espírito Santo nos fortalecer neste trajeto. Eis a escada:

1 - Primeiro degrau: Auto reconhecimento,

Reconhecer que temos que melhorar é fundamental. Se erro e não reconheço ou culpo os outros de meus erros nunca vou ser santo completamente. Todos temos problemas e é comum no nosso orgulho culparmos as situações ao nosso redor e as pessoas que nos cercam pelas nossas falhas e sofrimentos, que são sempre nossa culpa e só nossa. Ninguém é culpado ou responsável por minhas atitudes a não ser eu mesmo. Sempre eu posso agir correto e para melhorar tenho que parar de ficar culpando a tudo e a todos e aceitar de forma concreta  minhas falhas e que só eu posso melhorar e ninguém pode melhorar por mim. Auto reconhecimento também é aceitar que somos de inteligência limitada, e que somos incapazes de entender tudo o que aquele que criou o mundo faz e planeja pois somos infinitamente menos capazes de entender suas ações do que uma formiga pode entender as nossas, ou seja, tenho que aceitar muita coisa e não ser prepotente e querer entender tudo que Deus quer para mim sempre. Nunca vou entender todos os Seus desígnios e objetivos, mas sempre que confio Nele e me deixo conduzir realmente e tento agir corretamente tudo acaba dando certo.

2 - Segundo degrau: Fuga santa,

Uma vez que vejo meus erros e reconheço que tenho que melhorar e tenho que tomar atitudes concretas para melhorar, uma delas é fugir de tudo que me leva a pecar. Existe uma coisa pregada no catecismo da Igreja Católica que é a ocasião próxima do pecado ( já analisada em outra crônica) . Se eu estou em um meio que me leva a pecar devo me afastar deste meio. Tenho que evitar e fugir de tudo o que é contrário ao plano de Deus, se tenho dúvida peço para o Espírito Santo me iluminar e penso o que Jesus ou Maria fariam nesta situação, não tem como errar. Evito o erro e as situações que me levariam a pecar não as pessoas em si, nem que as vezes tenha que me afastar também delas momentaneamente. Quando não tem jeito de sair de perto de uma ocasião próxima um meio seguro de bloquear o erro é rezar; reze a Ave Maria , o Glória, o Pai Nosso, o Santo Anjo e uma jaculatória a São Miguel que nos livra de todo o mal e daquele que o mal emana, é assim: "São Miguel, em nome de Jesus e pelo amor de Deus Pai, me livra de todo mal, todo perigo e toda a tentação do demônio !". Acredite, é uma arma poderosa se estou em uma situação de risco.

3 - Terceiro degrau: Persistência,

Não lembro qual santo que disse que grandes santos não eram os mais perfeitos mas os mais persistentes, ou seja, somos falhos e vamos ser sempre, mas a cada erro que eu faço eu me levanto e tento de novo, e esta perseverança vai me ajudar a um dia conseguir a santidade. Assim como Deus não cansa de nos perdoar, nós não podemos nos cansar de continuar lutando. Se eu erro, reconheço meu erro e tento não cometê-lo de novo, não da boca para fora mas de todo o coração. As vezes é importante parar e pensar o que me leva a ter tal vício ou fazer tal pecado e ver formas concretas de não o fazer mais, agir e não só falar. Se eu REALMENTE quero melhorar e persisto em lutar contra as minhas falhas elas vão progressivamente reduzindo.

4 - Quarto degrau: Rever prioridades,

Muitas pessoas boas pensam assim: "- Não faço pecados mortais, não prejudico ninguém então está bem, isto deve bastar...". Na verdade isto não basta não. Muitas pessoas boas vivem para o trabalho, deixando a Deus e a família em segundo plano. Os cristãos reais não devem agir assim. Crença deve andar junto com obras para tornar a crença produtiva. Claro que trabalho é importante, até para eu santificar meu dia devo oferecer meu trabalho para Deus, mas tal trabalho nunca pode ser mais que Deus ou as pessoas, nunca uma pessoa santa coloca as atividades deste mundo acima de Deus. Para quem quer agir corretamente as prioridades devem ser:
A - Deus,
B - família,
C - trabalho e
D - coisas do mundo ( como laser, descanso, viagens).
As coisas do mundo, desde que corretas, também são importantes. Porém as mesmas exigem equilíbrio obviamente, o descanso é fundamental até para termos energia de continuar nossa caminhada, mas na sequência ABC acima, nunca ao contrário.

5 - Quinto degrau: Sacramentalizar a vida,

Quero deixar a minha vida consagrada  para o senhor ( mesmo trabalhando e com família isto é totalmente possível) e para nos ajudar Deus nos deu grandes presentes, os sacramentos. Isto também é permitir concretamente que Ele faça parte de minha vida. Muitos destes sacramentos são para momentos especiais da vida, como batismo, sacerdócio, crisma, casamento ou unção dos enfermos. Dois deles, porém, podem e devem fazer parte do meu cotidiano: a confissão e a santa eucaristia. Na confissão eu me reaproximo de Deus e, contrito, elimino meus pecados que me afastam daquele que é tudo. Já na eucaristia eu recebo Ele em seu corpo real, aceito o sacrifício que Jesus fez por nós e participo de tal sacrifício fazendo parte de Seu corpo também. É uma forma concreta de buscar a santidade.

6 - Sexto degrau: Rezar,

Rezar me aproxima Dele e cria uma intimidade com Ele, assim como com nossa mãe e aqueles que tomamos como exemplos a serem seguidos, os santos e anjos. A oração mais completa e melhor é a missa, com ela participamos do Seu sacrifício e damos valor ao que Jesus fez por nós, nada a substitui e devemos, sempre que possível, tentar ir na missa diária e obrigatoriamente no domingo. Ouso dizer que a segunda oração mais importante é o rosário (ou pelo menos o terço), também com sua recitação diária; foram promessas de Maria para quem rezar esta devoção diária de ser amparado em tudo o que precisar. Fora isto conversar com Deus, Jesus, o Espírito Santo, a própria Maria, São José, os outros santos, anjos e até as almas do purgatório, conversar com eles várias vezes ao dia e permitir que Deus faça parte de nosso dia. Rezar nos aproxima de Deus e daqueles que pertencem a Ele, além de nos protegerem de qualquer mal. Vejo um problema comum com todos nós, nas orações muitas vezes só pedimos, pedimos e pedimos e existem coisas muito mais importantes que pedir. Sugiro sempre começarmos agradecendo e louvando a Deus, pois tudo vem Dele. Também é importante agradecer a proteção e a intercessão de Maria, dos santos e dos anjos (em especial nosso anjo da guarda); depois reconhecer as nossas falhas e nos propor a melhorar e por fim pedindo o que for necessário e aqui deixo uma sugestão de responsáveis espirituais por determinadas funções da nossa vida: tudo o que for espiritual e pessoal apresentar a Jesus e Maria e nosso santo anjo da guarda, o que for para administrar nossos bens e coisas materiais pedir a são José, sempre que precisarmos abrir nossa mente e inspiração pedir ao Espírito Santo e se precisarmos de proteção para nós e nossos pertences pedir a São Miguel Arcanjo, porém sempre deixar claro que pedimos mas só se for a vontade de Deus (que nem sempre corresponde a nossa). Claro que cada um pode fazer a evocação que quiser, por isto deixo claro que é só uma sugestão.
Por fim devemos pensar nas coisas de Deus e pedir todo dia pelos pecadores, pelas almas do purgatório, pelos padres, oferecer algo em desagravo aos corações de Jesus e Maria e pedir pelas intenções de Maria, São José e pelas do Papa. O oração obviamente serve para tudo o que mais quisermos conversar, com coração aberto e humilde, com Deus e com aqueles que são Dele.

7 - Sétimo degrau: Compartilhar o dia com Deus e os que são Dele,

Devemos compartilhar tudo do nosso dia com Deus e com aqueles que pertencem a  Ele, em especial com a virgem Maria, pois ela é o caminho mais seguro para chegar ao seu filho e Jesus o meio mais concreto para chegar ao Pai. Isto nada mais é que a Santidade do dia a dia, tentar deixar Deus fazer parte de nosso dia, dar o meu melhor em tudo o que faço, nunca fazer o mal, não falar mal de ninguém e fazer tudo por amor a Deus. Para exercitar isto, e sabendo que nosso tempo é escasso, uma ferramenta concreta para deixarmos Ele fazer parte de nossa vida é em tudo e em toda ação do nosso dia antes de fazê-la rezar ou oferecer para Deus ou para as intenções de Maria ou de algum santo. Eles  pertencem a Deus e estando com ele farão a obra de Deus com meu esforço oferecido a eles, eles podem pegar o meu esforço diário e de tudo que faço, assim como meus sofrimentos oferecidos, e transformar em algo útil. Também é claro que podemos oferecer tais esforços pedindo algum benefício por alguém ou até por nós mesmos, mas deixando para Maria a ação tem um propósito maior e melhor, a obra de Deus no mundo.
Exemplos concretos :
1 - se pela manhã um profissional que lida com gente oferecer uma Ave Maria a Jesus Maria e José pedindo paz, conversão, saúde a salvação por todos que atender no dia e a cada um que for atender antes ele rezar uma Ave Maria por esta pessoa isto sim será uma fonte de graças e ele mesmo será um instrumento de Deus para distribuir coisas boas no mundo,
2 - sempre que ver na rua alguém que precisa (alguém com dificuldade ou algum carente) oferecer uma Ave Maria ou um Pai Nosso ou um Glória ou alguma jaculatória por esta pessoa também é uma forma de espalhar a Deus pelo mundo
3 - quem trabalha com atividades burocráticas, a cada nova atividade e esforço oferecer uma Ave Maria para as intenções de Maria tem também grande validade,
Muitas pessoas boas pensam assim:"- Não faço pecados mortais, não prejudico ninguém então está bem, isto deve bastar", na verdade isto não basta não. Crença deve se seguir de obras diárias para tornar a crença produtiva e a vida santa. Se só creio e não vivo e não ajo como tal ou não faço nada a fé fica vazia.
Muitas vezes fazemos boas ações ou temos sofrimentos e não servem de nada pois passam e vão embora sem alguma serventia. Se tudo de bom que nos esforçamos ou o que sofremos oferecermos para Deus (sem ficar reclamando) ou para os santos, por causa Dele, estas ações boas ou sofrimentos terão uma validade enorme sim. Estes oferecimentos são auxílios para nos santificarmos, tal oferecimento é uma ferramenta muito poderosa e já foi preconizada pelo padre José Kentenich, fundador da obra de Schoenstatt, o chamado capital de graças. Este capital de graças nada mais é que oferecer tudo que é possível de ser oferecido para Maria, sem pedir nada em troca, mas isto valoriza meu esforço diário,  permitindo que ela fazça o que bem entender com isto, e tal uso sempre será para engrandecer a obra de Deus e salvar e ajudar quem precisa. Deste modo deixamos nossas ações e esforços cotidianos realmente valorosos e com um objetivo maior que é a ação de Deus no mundo, por intermédio da mãe de Jesus. Ela sempre sabe como usar o que damos a ela para o bem.



Se uma pessoa com humildade tentar realmente colocar estes sete degraus em prática, pedindo para Deus não para ser perfeita mas para perseverar e sempre ver o que é certo de fazer e optar pelo certo efetivamente, creio sim que um dia ela vai ser santa. Deste modo um dia deverá ver a Deus realmente e compartilhar do seu reino nos Céus além de agradar a Deus já neste.

os sete degraus:

1 - Primeiro degrau: Auto reconhecimento,
2 - Segundo degrau: Fuga santa,
3 - Terceiro degrau: Persistência,
4 - Quarto degrau: Rever prioridades,
5 - Quinto degrau: Sacramentalizar a vida,
6 - Sexto degrau: Rezar,
7 - Sétimo degrau: Compartilhar o dia com Deus e os que são Dele