segunda-feira, 12 de maio de 2014

O Pecado Dominante e a Virtude Contrária

                      Infelizmente todos pecamos !  Pecamos porque somos imperfeitos na nossa natureza humana, mas mesmo imperfeitos Deus nos ama como filhos, porém o que Deus ama são as pessoas que somos e não nossos erros. Deus nos criou para sermos felizes e sempre o pecado rouba a nossa felicidade e, com certeza, Ele fica feliz quando conseguimos vencer um pecado. Pecado é tudo que por ação nossa leva ao afastamento de Deus. Alguns dos pecados mais habitualmente feitos e que devemos lutar contra com real detestação deles por ofenderem a Deus são os sete pecados capitais : preguiça, avareza, irá, gula, luxúria, soberba e a vaidade. Estes pecados nos levam a não aceitarmos a grandeza de Deus e colocarmos nossos desejos e idéias acima das de Deus, e convenhamos que nunca alguém terá um bilionésimo do entendimento e inteligência de quem criou o universo. Para irmos para o céu é preciso aceitar a Deus, e para isto não ser vão é preciso termos ações contrárias a nossas tendências erradas.
                   O que é bom vem de Deus, o que é ruim vem do demônio, agora como o Senhor é bom Ele nos ensina o caminho para a felicidade, mesmo que às vezes seja mais trabalhoso. Por ser perfeito Ele não nos obriga a nada e nos dá a liberdade para escolhermos qual caminho queremos, só que com tais escolhas vem as consequências de nossos atos e se escolhemos o caminho errado um dia enfrentaremos a justiça dos homens e a divina principalmente.
                    Todos temos vários defeitos mas temos um defeito maior, o que é chamado de defeito dominante, e este muitas vezes é um pecado capital no qual mais facilmente nos deixamos cair. É chamado dominante porque pode levar aos outros pecados e afastamento de Deus. Por ser muito amoroso e bondoso Deus nos dá ferramentas para lutarmos contra tais pecados que são as virtudes contrárias, ou seja cada pecado pode ser combatido se exercitando uma boa tendência ou virtude que se contrapõe a tal pecado.
                   A humildade serve para vencer a soberba, a castidade se opõe à luxúria , a generosidade à avareza,  a temperança é contrária a gula, a caridade se opõe à inveja, a paciência  à ira e por fim a diligência é contrária a preguiça. Vamos exemplificar, se sou preguiçoso e quero vencer isto eu posso começar a fazer pequenas atitudes que me são custosas e trabalhosas , que aos poucos vou aumentando e isto me abre caminho real para vencer a preguiça,  tal fato ocorre com cada uma das virtudes aqui descritas, ou seja, se exercito o bem ele prolifera e dará frutos, porém se exercito o mal me afasto de Deus e cada vez mais me afogo nos vícios, o que torna cada vez mais difícil sair deles.
                  Todos podemos e devemos melhorar, todos temos vícios dominantes e cada vez que os identificamos temos o dever cristão de lutarmos para melhorar, e o melhor caminho para isto é pedirmos a Deus diretamente (afinal tudo de bom vem Dele ) ou para quem tem mais mérito do que nós como a Santa Maria, os santos e anjos... Uma coisa é certa quem está lutando para melhorar é feliz assim como quem está afundado nos vícios infelizmente é um sofredor contumaz e nunca vai sair do buraco senão exercitar as virtudes opostas a tais vícios..

                                            

domingo, 11 de maio de 2014

Ave Maria de Um Protestante


Lindo relato real narrado pelo padre americano Cristopher Tuckwell  (abaixo) :

 
Um garotinho protestante de apenas 6 anos sempre ouvia seus amiguinhos católicos rezando a Ave Maria, ele gostou tanto da oração que copiou-a num papel e recitava-as todos os dias. "Olha, mamãe, que oração linda!", disse o garotinho um dia a sua mãe."Nunca repita-a, meu filho!", respondeu a mãe. "Esta é uma oração supersticiosa dos católicos, que adoram ídolos e pensam que Maria é uma espécie de Deusa. Mas na verdade ela não passa de uma mulher como uma outra qualquer. Pegue esta Bíblia e leia-a, nela encontramos tudo o que devemos e o que não devemos fazer".
Daquele dia em diante o garotinho cessou suas Ave Marias diárias, e se dedicou mais à leitura da Bíblia. Um dia, quando lia o Evangelho, o garoto leu a passagem da Anunciação do Anjo a Nossa Senhora. Cheio de alegria, o garoto correu até sua mãe e disse: Mamãe, eu achei a Ave Maria na Bíblia, aonde diz: 'Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres'.(Lc 1, 28) Por que a senhora chamou esta oração de supersticiosa? 'Numa outra ocasião ele encontrou a linda saudação de Santa Isabel à Virgem Maria e encontrou também o maravilhoso Cântico MAGNIFICAT, no qual Maria é profetizada: "Doravante todas as nações me chamarão bem-aventurada."(Luc. I,48). Ele não mais comentou estas passagens com sua mãe, mas voltou a recitar suas Ave Marias todos os dias, como fazia anteriormente. Ele sentia prazer em recitar aquelas fascinantes palavras para Mãe de Jesus, Nosso Salvador.
Aos 14 anos, ele escutou os membros de sua família discutindo entre eles sobre Nossa Senhora. Todos eles diziam que Maria era uma mulher comum como qualquer outra. O garoto, depois de ouvir estas absurdas afirmações, não aguentou mais e com indignação interrompeu-os, dizendo: "Maria não é como qualquer filha de Adão, manchada pelo pecado. Não! O anjo chamou-a de Cheia de Graça e Bendita entre as mulheres. Maria é a Mãe de Jesus Cristo e, consequentemente, a Mãe de Deus. Não existe dignidade maior para com uma criatura. O Evangelho nos conta que as gerações a chamarão abençoada/bem aventurada, e vocês desmerecendo-a e menosprezando-a? Seus espíritos não são os mesmos do Evangelho ou da Bíblia, que proclamam ser a fundação da Religião Cristã."
A fala do garoto deixou uma impressão tão profunda, que conseguiu, por várias vezes, fazer sua mãe chorar de dor. "Ah, meu Deus! Tenho medo deste meu menino um dia se juntar a religião católica, a religião dos Papas!". E realmente não tardou muito, depois de um sério estudo sobre o Protestantismo e o Catolicismo, o garoto descobriu mais tarde a única e verdadeira religião, e abraçou-a e se tornou um de seus mais ardentes apóstolos.
Algum tempo após sua conversão, ele encontrou com sua irmã casada que o censurou, dizendo: 'Você sabe o quanto eu amo meus filhos. Se algum deles um dia desejar virar católico, eu preferirei perfurar o coração deles com um punhal do que permiti-los abraçar a religião dos Papas.' A fúria dela era tão profunda quanto a de São Paulo antes de sua conversão. De qualquer forma, ela iria mudar seu jeito, igual a São Paulo no caminho a Damasco.
Então ocorreu que um dos filhos dela ficou perigosamente doente, e os médicos já haviam perdido a esperança de recuperação. Aí o irmão chegou até ela, e conversou afetivamente, dizendo: "Minha querida irmã, naturalmente você deseja que sua criança seja curada. Muito bem então, o que eu lhe pedir, você faça! Siga-me, vamos rezar uma Ave Maria e prometer a Deus que, se sua criança recuperar a saúde, você irá estudar seriamente a Doutrina Católica, e você chegará à conclusão de que o Catolicismo é a única e verdadeira religião, e não importa quão grande seja este sacrifício, mas você irá abraçar esta Fé.
Sua irmã estava relutante no começo, mas como ela desejava a recuperação de seu filho, ela aceitou a proposta do irmão e rezou a Ave Maria com ele. No dia seguinte o filho dela estava completamente curado. A mãe cumpriu sua promessa e estudou a Doutrina Católica. E após uma longa preparação, ela recebeu o sacramento do Batismo juntamente com o restante de seus familiares, e agradeceu seu irmão por ter sido um apóstolo para ela.
Essa história foi relatada num sermão dado pelo Rev. Fr. Tuckwell(Padre Tuckwell), que continuou o sermão dizendo: "O tal garoto que virou Católico e converteu sua irmã e familiares ao catolicismo, passou a dedicar sua vida inteira para o serviço de Deus. Aquele garoto virou padre e está a falar com vocês neste exato momento!" O que eu sou, devo a Nossa Senhora. Vocês também meus caros fiéis, sejam totalmente dedicado à Nossa Senhora, e nunca esqueça de passar ao menos um dia sem rezar esta linda oração, a Ave Maria e o Terço. Peça a Ela para iluminar as mentes protestantes que estão separadas da Igreja de Cristo, fundada na pedra/rocha(Pedro) , da qual as portas do inferno não prevalecerão contra ela ( Mt. XVI, 18).